MEU CNIS: COMO OBTER! 

Compartilhar nas Redes Sociais

A partir de hoje me somo a missão de contribuir, aqui no blog, com informações que facilitem a sua organização e planejamento no âmbito do direito previdenciário. Já que esse é meu ponto de partida nesse espaço, vou falar sobre um dos documentos que marcam, desde o início, a jornada do trabalhador que contribui com a previdência. Afinal, porque é tão importante o meu CNIS?

Esse é o primeiro documento que todo trabalhador deve observar com cuidado ao fazer seu planejamento previdenciário. Principalmente quem está próximo de requerer a aposentadoria.

O CNIS é o conjunto de dados que o INSS usa para conceder a aposentadoria e calcular benefícios.

Certamente, esse documento passou a chamar mais atenção do trabalhador com a reforma da previdência.

Veja o que mais preocupa vigilantes de todo o país com a reforma da previdência clicando aqui!

Portanto é importante saber. O Cadastro Nacional de Informações Sociais é a base de dados integrados do Governo Federal por meio do INSS. Nele constam informações cadastrais dos trabalhadores individuais, dos empregadores, dos vínculos empregatícios e de remunerações. São fontes destas informações: PIS/PASEP, RAIS, FGTS, CAGED e Cadastro de Contribuintes Individuais.

O CNIS contém dados dos vínculos empregatícios desde 1.976, as remunerações mensais a partir de 1.990 e os recolhimentos dos contribuintes individuais desde 1.979.

Quando você vai dar entrada em qualquer benefício no INSS, os sistemas vão acessar os dados do Cadastro Nacional de Informações Sociais. Essas informações definirão se você possui ou não direito ao benefício.

Todos nós temos um funcionário público como amigo ou em nossa família. Leia aqui como eles serão afetados pela reforma da previdência.

Vamos a algumas dicas para que você tenha essa documentação sempre atualizada. Inegavelmente, elas podem evitar muitos  problemas no futuro.

O que fazer quando percebo algum erro no meu CNIS?

Caso verifique que falta alguma informação no seu extrato, busque a correção pessoalmente no INSS através do agendamento “atualização de tempo de contribuição”. É imprescindível que o mantenha corrigido e atualizado pois os dados que se encontram no CNIS valem para todos os efeitos como prova de filiação à Previdência Social, relação de emprego, tempo de serviço ou de contribuição e salários de contribuição, podendo em caso de dúvida, ser exigido pelo INSS a apresentação dos documentos complementares.

Como posso consultar o CNIS?

Você pode consultar o CNIS online e ter acesso mensalmente, a todas as informações lançadas pelo empregador em seu cadastro, pelo site do INSS, mediante a criação de senha “cadsenha”. Pode ir a uma agência do INSS, sem agendamento ou tirar extratos por meio de Bancos oficiais, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. E pode sempre orientar-se com um advogado previdenciarista.

Como atualizar o documento?

A atualização do CNIS dependerá da sua conferência.

Muitas vezes há falhas de informações no CNIS. Isso acontece, por exemplo, com ausência de vínculo, ausência de informações de recolhimentos, data de início de vínculo mas ausência de data final do mesmo vínculo.

Enfim, são muitas possibilidades de informações erradas ou falta de informações.

Portanto, agora você já sabe que Isso é muito prejudicial! As informações do CNIS serão consultadas para verificar se você tem ou não tem direito a determinado benefício.

Quando o INSS verifica falha de informação ele não considera o período relacionado e faz uma observação no seu CNIS.

Vale a pena pagar o INSS em atraso? Nós contamos tudo nesse artigo! Leia clicando aqui! 

Essa observação você pode conferir na última coluna do seu CNIS, no lado esquerdo, em “INDICADORES”.

Os indicadores são um conjunto de 27 siglas! O INSS escreve as siglas nessa coluna e lá embaixo explica o que significa cada indicador.

Por isso, vou me deter a três situações bem comuns e uma  explicação resumida sobre elas!  

AEXT-VI – O INSS indeferiu o acerto de vínculo e muito provavelmente você terá que acionar a justiça para que sua documentação seja reconhecida.

PREM-EXT – A contribuição extemporânea do contribuinte individual prestador de serviço terá que comprovada. O INSS irá exigir a documentação de você realmente trabalhou para que o período seja computado.

PEXT – A sigla indica um vínculo extemporâneo que o INSS não reconhece. Portanto, não utilizará como base de cálculo para o benefício caso você não comprove o período.

Atenção: as divergências no CNIS estão entre os motivos mais frequentes que o INSS utiliza para negar aposentadorias. 

Mantenha-se sempre atualizado com as informações em seu CNIS. Isto facilitará a concessão do benefício no momento certo!

Afinal, você não quer colocar seus direitos em risco! 

Até nosso próximo encontro aqui no blog!

8 comentários em “MEU CNIS: COMO OBTER! ”

  1. Pingback: Aposentadoria por Tempo de Contribuição e suas regras. - Arraes Centeno & Penteado Advocacia

  2. Muito bom! Muitas coisas não sabia,no meu INSS o CNIS diz que tenho 28 anos e 10 meses dentro deste período trabalhei no jornal Estadão Gráfico por 17 anos de 1985 a 2003 , no jornal de Suzano 2 anos de 2008 a 2010 no transporte como motorista de ônibus por 8 anos de 2011 até os dias de hoje, função especial a cada 5 anos conta mais 2 anos tendo então 17 anos como gráfico conta mais 6 anos mais 2 anos especial no transporte, então fica 28 anos trabalhado e mais 8 anos como especial insalubridade totalizando 36 anos ! Com isso eu posso me aposentar pelo fato de ter insalubridade especial,como fica? Tenho direito de me aposentar se eu colocar um advogado muito bom, porquê o INSS não reconhece a insalubridade especial.

  3. Pingback: Aposentadoria para dentista: como preparar em 3 passos! - Arraes Centeno & Penteado Advocacia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *