Que o Vigilante tem direito de aposentar-se mais cedo e quais os requisitos necessários, já foi dito neste post[Aposentadoria Especial do Vigilante: quais os requisitos?]

Agora, serão dadas 5 dicas valiosas para que a sua Aposentadoria Especial do Vigilante seja deferida pelo INSS.

1. Saiba quais documentos são necessários para considerar o tempo especial, e guarde-os.

A primeira dica vai ser necessária desde o início do seu trabalho como Vigilante. Isto é, torne-se consciente de que por mais que você ainda não tenha tempo suficiente para se aposentar, deve estar preparado para reunir a documentação necessária.

Isto significa que quando você sair de alguma empresa, peça sempre os documentos solicitados pelo INSS, acesse nosso e-book aqui e veja quais são eles!

2. Períodos até 1995 podem ser considerados especiais por categoria profissional

Até 1995, o INSS possuía uma lei que considerava como atividade especial o simples exercício da função de vigilante. Nesses casos, basta a apresentação da Carteira de Trabalho que conste como função de Vigilante, Vigia, Guarda ou similares.

Clique aqui para mais dicas como estas.

3. Mesmo que a empresa não exista mais, é necessário ir atrás da documentação

É muito comum que após 25 anos de serviço, exista alguma empresa que o Vigilante já tenha trabalhado que fechou, faliu, ou que este tenha perdido o endereço ou contato.

Neste caso, ainda assim é importante ir atrás dessa documentação,  veja como baixando nosso e-book.

4. Não subestime o processo administrativo no INSS

O INSS não pode te vencer pelo cansaço. Serão muitas etapas a serem encaradas em busca de sua aposentadoria especial do Vigilante, por isso é importante você cumprir todas elas e o processo administrativo no INSS é a porta de entrada para o alcance do seu direito.

5. Não desista da Aposentadoria Especial caso o INSS diga que você não tem direito

O INSS pode dizer que você não tem direito à aposentadoria especial.  Neste caso, não desista de requerer o seu benefício, baixe nosso e-book e fique melhor informado:

Carolina Centeno de Souza – Advogada, Sócia no Arraes & Centeno Advogados. Especialista em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário.

Advogada Previdenciária e Trabalhista

Formada em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Inscrita na OAB/MS sob o nº17.183. Especialista em Direito Previdenciário, Direito do Trabalho e Direito Sindical. carolina@arraesadvogados.com.br