Atualizado em 1 abr, 2024 -

Bursite e tendinite no ombro aposentam? Conheça seus direitos

Dor no ombro

Bursite e tendinite no ombro são as mais comuns. Isso quer dizer que existe bursite e tendinite em outros lugares do corpo, mas os trabalhadores são afetados especialmente nos ombros, pois eles são altamente requisitados para funções básicas de trabalho. Mas a partir de quando a bursite e a tendinite no ombro aposentam e se tornam um problema de saúde que impacta a capacidade de trabalho?

Elas são doenças que não criam um senso de urgência de imediato.

Chegam de mansinho, trazem desconforto vez ou outra e vão limitando os movimentos aos poucos, até que, quando o trabalhador se dá conta, já está em estágio avançado. 

É nessa hora que o segurado precisa do INSS para iniciar um tratamento profundo com afastamento temporário do trabalho. Mas, infelizmente, existem casos onde o trabalhador não consegue retornar ao trabalho por conta dessas doenças. Então, sim, bursite e tendinite no ombro aposentam, mas depende do tipo de incapacidade gerada para o trabalho. 

Eu te explico melhor neste artigo. Continue a leitura e saiba tudo sobre os direitos previdenciários e trabalhistas em caso de bursite e tendinite no ombro.

Sumário

Bursite e tendinite no ombro aposenta?

Bursite e tendinite no ombro podem, sim, aposentar um segurado por invalidez. Mas, embora elas limitem atividades básicas do dia a dia, como escovar os dentes, dirigir ou segurar o seu filho colo, provocando dor intensa na região, geralmente, elas não cumprem os requisitos para a aposentadoria por incapacidade permanente. Uma vez que, para isso, é necessário comprovar que o trabalhador não tem chances de recuperação da doença e nem de reabilitação profissional.

Sendo assim, o que gera aposentadoria por bursite ou tendinite não é a doença em si, mas o tipo de incapacidade que elas podem trazer para a vida do segurado. 

Nesse sentido, é fundamental explicar para você o que é bursite e tendinite no ombro, a fim de criar um alerta sobre as condições que provocam essas doenças, seus sintomas e como agir caso seja diagnosticado com elas.

Região de bursite e tendinite nos ombros

O que é bursite?

A bursite é uma condição médica que caracteriza uma inflamação na bursa. As bursas funcionam como amortecedores entres ossos, tendões, músculos e peles, por isso, tem o formato de pequenas bolsas e são cheias de líquido. O corpo todo possui bursas, mas as áreas comuns onde a bursite ocorre incluem ombros, cotovelos, quadris, joelhos e calcanhares.

Quando uma bursa se inflama, pode causar dor, inchaço e restrição de movimento na área afetada. E são vários os fatores que podem levar a inflamação:

  • Traumatismo repetitivo;
  • Movimentos excessivos ou repetitivos;
  • Infecção ou condições médicas subjacentes, como artrite;
  • Entre outros.

O que é tendinite no ombro?

Já a tendinite no ombro, é caracterizada pela inflamação ou irritação dos tendões que conectam os músculos aos ossos do ombro. Quando inflamados, também causam dor, inchaço e limitação de movimento no ombro afetado, pois os tendões são responsáveis pelo movimento das articulações transmitindo a força dos músculos para os ossos. 

A tendinite no ombro pode ocorrer por:

  • Sobrecarga repetitiva dos músculos e tendões do ombro;
  • Lesões traumáticas;
  • Postura inadequada;
  • Envelhecimento e condições médicas subjacentes, como artrite.

Sintomas e tratamento da bursite e tendinite no ombro

Os sintomas e tratamento dessas condições médicas são muito parecidos, por isso conseguimos descrevê-los juntos.

Sintomas

  • Dor no ombro que pode piorar com movimento ou atividade;
  • Sensibilidade ao toque na área afetada;
  • Inchaço e rigidez no ombro;
  • Em alguns casos, a dor pode se estender pelo braço ou pescoço.

Tratamento

Tanto o tratamento da bursite como o da tendinite envolvem medidas para reduzir a inflamação e aliviar os sintomas: repouso, aplicação de gelo, uso de medicamentos anti-inflamatórios, fisioterapia, alongamento e exercícios de fortalecimento.

Em alguns casos avançados, pode ser necessária a aplicação de injeções de corticosteróides e, em casos mais graves e persistentes, pode ser necessária intervenção cirúrgica para:

  • Em caso de bursite, drenar o líquido da bursa ou remover a bursa inflamada;
  • Em caso de tendinite, reparar o tendão danificado.

Por que bursite e tendinite são consideradas doenças ocupacionais?

A doença ocupacional é aquela causada ou agravada pelo trabalho. Vale dizer que, é considerada doença ocupacional, inclusive, uma doença que em sua origem não é ocupacional, mas foi agravada em razão do seu trabalho. Portanto, a bursite e a tendinite são frequentemente consideradas doenças ocupacionais devido à relação entre as condições médicas e o trabalho.

Por isso, se você entra saudável na empresa e, por conta das suas atividades, adquire bursite e tendinite no ombro, elas serão consideradas doenças ocupacionais para fins de recebimento de benefícios do INSS e direitos trabalhistas. 

Mas, neste caso, é indispensável buscar uma advogada especialista em doenças ocupacionais.
A tendinite é uma das doenças ocupacionais mais comuns, ela faz parte do grupo de doenças LER/DORT, responsáveis por um dos maiores números de afastamento de trabalhadores pelo INSS. Ela e a bursite surgem em decorrência do esforço repetitivo, como vimos, e por isso, pode exigir que o trabalhador fique afastado de suas atividades até que a inflamação acabe.

Fisioterapia no ombro

Quais benefícios do INSS podem ser solicitados por bursite e tendinite no ombro?

Na maioria dos casos de bursite e tendinite no ombro, o segurado vive uma jornada com os benefícios do INSS antes de chegar à aposentadoria por incapacidade permanente. Isso acontece porque, no início, essas doenças possuem tratamento e cura, ou seja, colocam o trabalhador na posição de incapacidade temporária.

Auxílio-doença

O benefício por incapacidade temporária é o antigo auxílio-doença. Todo segurado do INSS tem direito a este benefício desde que esteja incapacitado para o trabalho por mais de 15 dias. Dentro deste período é o empregador quem se responsabiliza pelos pagamentos ao empregado. 

Outros requisitos para receber o auxílio-doença são: qualidade segurado ou período de graça; cumprimento de carência mínima de 12 contribuições. A carência será dispensada caso a doença seja relacionada com o trabalho.

Auxílio-acidente

Toda doença ocupacional recebe o mesmo tratamento previdenciário que um acidente de trabalho. Por isso, se a sua capacidade para o trabalho for reduzida de maneira permanente por conta da bursite e tendinite no ombro, é possível receber o auxílio-acidente

Repare que aqui, a capacidade é reduzida e não anulada, portanto, é possível voltar ao trabalho e receber o auxílio-acidente, pois ele não substitui o salário.

Aposentadoria por invalidez

Agora, como vimos antes, se a sua capacidade de trabalho for prejudicada de forma total e permanente, removendo todas as possibilidades de trabalho, inclusive de reabilitação, você pode receber a aposentadoria por bursite e tendinite no ombro

Direitos trabalhistas da pessoa com bursite e tendinite no ombro

Além de ter o direito de se afastar do ambiente de trabalho recebendo o B-91 do INSS, o segurado com bursite e tendinite no ombro tem direito à:

  • Estabilidade provisória;
  • Rescisão indireta;
  • Indenização moral e material;
  • Pagamento de FGTS;
  • Manutenção do convênio médico durante o tratamento;
  • Manutenção dos benefícios e complementações salariais;
  • Pensão mensal que pode ser vitalícia, caso tenha perdido parte de sua capacidade ou toda a capacidade.

Recomendo que você veja o vídeo abaixo para ficar por dentro de outros detalhes:

E também recomendo compartilhar este conteúdo. Como a tendinite é uma das doenças ocupacionais mais comuns, mais pessoas precisam saber dessas informações. Clique no botão verde!

Você também pode falar direto com uma advogada especialista sobre seu caso. É só clicar no link.

Picture of Priscila Arraes Reino
Priscila Arraes Reino
Advogada previdenciária e trabalhista especialista em doenças ocupacionais e Síndrome de Burnout. Formada em Direito pela Universidade Católica Dom Bosco (2000). Sócia fundadora do Arraes & Centeno Advogados Associados. Especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho e Pós-Graduada em Direito Previdenciário. Palestrante (OAB/MS 8596, OAB/SP 38.2499 e OAB/RJ 251.429).
Mais artigos:

Contatos

Atendemos online em todo país e no exterior

Saiba onde está localizada nossa sede física